terça-feira, 1 de julho de 2008

Poemas 71 e 72


Sobre Quadros

"(...) é apenas uma fotografia na parede.
Mas como dói."
(Carlos Drummond de Andrade)

Não a ausência
do quadro na parede;

Mas a lembrança que ali ficou:
(indelével retrato da minha sede).

(por Filipe C.)


Sobre Tesouros

Vai, se pressentes
tesouros escondidos.

Vai, se queres ir.

Mas não me procures
se perderes o mapa:

(também eu sei partir).
(por Filipe C.)

15 comentários:

karine. disse...

Aahh, adorei os poemas. O 'Sobre quadros' está bem poético...a mancha sempre permanece, em tempos e tempos...e 'sobre tesouros' gostei da imagem, do que tava guardado dentro de vc, como um desabafo...
sempre muito bom nisso! hahaha beijos...=)

Livia disse...

Lindos, lindos...
Gostei muito do "Sobre Tesouros"...

"Mas não me procures
se perderes o mapa:

(também eu sei partir)."

A liberdade que faltava... =)

Martha disse...

Tristeza...

thays disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thays disse...

uauuu! apesar do tema, não é só um professor mudo, é um artista, um poeta! hahaha =)

Vivi disse...

Que fortes esses poemas!
Muito tristes, mas lindos!

Só você mesmo para enxergar a mancha que o quadro ausente deixou na parede. Genial!

E como já disseram aqui, o desabafo de "também eu sei partir" é sensacional!

Parabéns, professor mudo-artista!

tânia disse...

Geniais.

nessa-nit disse...

Só porque você tem os olhos e o sorriso mais lindos do mundo (com todo respeito), não precisava também escrever tanto assim, ex-professor...
Tudo lindo por aqui!
Saudades!

Afonso disse...

muuuuito bom filiperi.

Cristiane disse...

Tem uma certa dose de crueldade misturada a ternura na sua poesia.
Em que você se inspira?

Renata disse...

O Filipe tem
essa coisa doida
na cabeça e nos olhos.

(acho que é poesia
o nome).


;)

Diego Moreira disse...

Bacana, meu velho. Saudades de ti.
Vamos marcar um samba?
Abraços!

Anônimo disse...

Faz pouco tempo que acompanho seu bolg...desta vez achei válido comentar pois gostei muito do que li! confesso não entender o suficiente para criticá-lo, então vim apenas opinar! voltarei sempre! ando me deliciando com suas palavras...

Claudio disse...

tristeza mostra sensibilidade, às vezes mostra verdade... curtos e objetivos! um desafio: que tal um soneto? abraço!!!

Filipe Couto disse...

Algumas respostas:
1 - marthinha! são tristes mesmo esses poemas. mas lirismo muitas vezes vem disso, né?
2 - cristiane, eu me inspiro em tudo: na minha vida, na vida dos outros, filmes, peças, livros e, sobretudo, na imaginação. minha mestra, contudo, é Cecília Meireles. Tento ter um estilo que a lembre.
3 - renata, adorei o poema que você escreveu aqui! você tem blogue?
4 - diegito, é só marcar! você tem meu telefone, pô!
5 - cláudio, já escrevi um soneto por aqui "Sobre Teus Olhos", se não me engano. só não é muito minha praia.

Obrigado aos demais pelos comentários!