terça-feira, 29 de julho de 2008

Poemas 81 e 82


Chegamos a nove mil visitas de computadores diferentes! Obrigado pela força, pessoal! Boa semana a todos!

Sobre Mensagens em Garrafas

Algum tempo
fiquei (sozinho) na praia.

Mas não imaginava navios,
nem apreciava o sol

que devagar se deitava
refletido nas águas.

Esperava
uma só notícia, uma só carta,
daquelas que atravessam

o oceano inteiro
dentro de uma garrafa,

me pedindo pra nadar
até o fim do mundo.

Porque só eu poderia salvá-la.

(por Filipe C.)

Sobre Idas e Vindas

Não discuto
mais com o destino.

Já aprendi a aceitar

o que o mar traz à praia
e o que ele leva consigo.

(por Filipe C.)

17 comentários:

Anônimo disse...

Você ama escrever sobre praias, navios e o mar, né?
Legal isso.. O mar é realmente muito significativo e sutil.
Adoro seus poemas!
Beijos.

Fabi disse...

Filipe, sempre adorador do mar por aqui =b

Adorei demais "Sobre Mensagens em Garrafas", demais mesmo. Tá na lista dos tops =D

No primeiro poema, o mar como fonte de esperança... No segundo, o mar como fonte de decepção. Muito legal!

Beijo =*

Guilherme disse...

simplesmente SENSACIONAL, meu irmão

vivi disse...

Esperava
uma só notícia, uma só carta,
daquelas que atravessam

o oceano inteiro
dentro de uma garrafa,

me pedindo pra nadar
até o fim do mundo.



Já aprendi a aceitar
o que o mar

traz à praia
e o que ele leva consigo.




Nunca o mar foi tão lindamente tratado...
Primeiro esperança, depois decepção.
Brilhante!
Você sabe que é meu poeta preferido não sabe?

Fabi disse...

Isso aí em cima foi uma cópia do meu comentário?
ahahahahahaha putz =/

Fabi disse...

Tomarei como admiração ao meu comentário, o que acho que foi o que de fato aconteceu. =)
Tudo pela paz.

vivi disse...

Refazendo:

Esperava
uma só notícia, uma só carta,
daquelas que atravessam

o oceano inteiro
dentro de uma garrafa,

me pedindo pra nadar
até o fim do mundo.


Já aprendi a aceitar
o que o mar

traz à praia
e o que ele leva consigo.




Nunca o mar foi tão lindamente tratado...
Primeiro esperança, depois decepção, como já havia percebido a fabi.
Brilhante!
Você sabe que é meu poeta preferido não sabe?


=)

Fabi disse...

Ah, bom.

fabi disse...

=)

Renata disse...

Adorei esses poemas!
Falam direto na nossa alma!
Parabéns!

victor disse...

Muito foda!
Não sabia que você sabia escrever assim não, fera! hahaha
Abraço, mestre!

Renata disse...

Pela primeira vez entro por aqui e conheço este lindo espaço de poemas criativos e intensos.
Adorei estes!

Beijo grande,
da sua aluna.

Lica disse...

Mais uma vez... Muito bom! Parabéns =)

Anônimo disse...

Se superando a cada postagem...

Amanda

Alan disse...

Além da combinação esperança/decepção, muito bem percebida pela Fabi,podemos entender os dois poemas como respostas (filosóficas?) à questão do desejo.

Enquanto o primeiro é o homem desejante, o segundo é bem epicurista(ataraxia?).

abraço!

Juju disse...

Mensagens em garrafa...
gostei!
Lindo!
;)

É Vivendo que se Vive disse...

Filipe, leio bastante poemas, tanto os de poetas atuais quanto os já consagrados em nossa literatura e, a exceção dos últimos, até hoje, apenas um poeta da atualidade, e que é português (José-Augusto de Carvalho), tocou-me fundo. Disse até hoje, porque, a partir de hoje, você se une a ele. Teus versos são belos, chegam em ondas, transbordando os olhos.