segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Poema 27


Sobre Frutos

Deixa, então, que o amor amadureça,
mas (é bom que não esqueças)
estejas atento a qualquer surpresa...

(qualquer vento que acaso me mereça,
poderá, de repente, me balançar inteira)


(por Filipe C.)

11 comentários:

isabela disse...

Qualquer coisa pode balançar não só o amor, mas a vida também... é preciso viver com as surpresas...

adorei, beijos

vivi disse...

Às vezes é melhor mesmo não perder tempo...
Brilhante a imagem do "amadurecer" e do "vento" que pode balançar o fruto!
Adorei de novo! =)

Rebecca disse...

por ser muito medrosa, me identifiquei demais com esse poema, filipe...imaginei meu namorado me falando isso e morri de medo! hehehe
lindo, como sempre!

marianna disse...

Amo esses seus poemas mais curtinhos! ;)
Beijos!

Anônimo disse...

Lindo...como sempre...

Juju disse...

Ontem, sentada lá no colégio, a espera da minha amiga escrevi uma coisa. Sei lá se é bom ou ruim, nem sei se tem algo a ver, só sei que quando cheguei em casa me deparei com seu poema, me deu vontade de colocar aqui. Espero que goste (e que não se importe é claro). A procura de um titulo melhor, se puder dar uma força...
Ah, comentarios: seu poema dá uma sensação de insegurança, de incerteza.Acho que o amor realmente precisa dessa insegurança, para buscar sempre melhorar algo, fazer coisas que ajudem esse "fruto" a amadurecer. Gostei muuuuuuuuuito. Lindo.

" Doce inquietude

Vejo o vento soprar por entre as árvores.
Folhas caem neste frio outono,
e a única coisa que permanece
é a certeza de sua ausência.

Sento enfrente a esta lareira
e o calor que dela sai não me aquece
(nem o corpo, nem a alma).
Meu coração vazio, o imagina nos braços dela,
dando os carinhos que (tantas vezes) imaginei para mim.

Mas você não está aqui.
Olho minha cama deserta,
fazendo esta solidão ainda mais pertinente.

Quando este tormento, esta falta do que nunca tive,
este carinho tão forte me abandonarão?
Quando as lembranças de seu doce sorriso,
do brilho de seus olhos, de seu jeito meigo
desaparecerão dos meus pensamentos?

Talvez no dia que eu deixar de lhe achar necessário,
você finalmente vá embora,
com a mesma sutileza com a qual entrou".

Bjuxxxxxxxx poeta preferido...

disse...

É essa insegurança que faz esse fruto tão instável cada vez mais doce ;)

Bruna disse...

Me fez lembrar de Chico em Futuros Amantes

Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá...

=)

Amélia disse...

Delicioso!

:***

Mari disse...

simples, lindo, perfeito.

Renata Homsi disse...

Filipe!
Parabéns pelos seis meses do blog!Versos perfeitos que retratam cada momento das nossas vidas e que afloram todos os nossos sentimentos!
Te admiro muito!
São os mais sinceros parabéns de sua fã: Renata Homsi (314 Niterói II)