segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Poemas 22 e 23

Separados por exatos três anos, os dois poemas abaixo tratam do mesmo casal, do mesmo relacionamento. Obrigado pelas quase duas mil visitas em menos de três meses e pelos comentários constantes! Boas leituras!

Sobre o Céu

Porque o céu são diamantes exatos,
frios e distantes, ponho meus olhos
ainda estanques sobre a terra.

Porque na terra não há mais
que folhas derramando lentamente
na estrada o seu fim, ponho meus olhos
(assim tristes, assim fatigados) sobre mim.

Porque em mim só vejo o escuro,
duro fundo de uma alma sem rumo,
Ponho meus olhos sobre ti.

(e fico...)


(por Filipe C.)
Sobre Tolices

Porque não conseguia mais dormir,
esta noite destruí suas fotografias,
seus presentes, suas poesias.

Porque já não suportava mais
me sentir desse jeito, arranquei do peito
todos os meus planos (perfeitos)

e exigi do meu coração que se desse ao respeito
e não aceitasse nunca (nunca) nenhuma
lembrança maluca que você pudesse oferecer.

(mas esse quarto escuro, essa cama vazia
são tristes subornos que a minha
saudade bandida insiste em receber)

(por Filipe C.)

13 comentários:

Amélia disse...

Nossa, Filipe, que forte!

Os dois, são extremamente intensos... cheios de uma certeza...

Talvez incerta...

Bravo! :D

Juju disse...

Como assim dois poemas?? Meu Deus!Tenho até vergonha de comentar qualquer coisa diante disso.
Os dois são lindos demais da conta.
O segundo é bem profundo...
Quem nunca passou por essa situação de querer sumir com tudo,jogar fora, e tirar da mente aquele que se ama? Como descrever essa sensação de desespero, quando qualquer coisa que se olha lembra o alguém? Mas não mandamos no coração. Quando ele escolhe não há meios de dizer não... E a saudade é perversa, machuca,dói... Nos lembra o que tanto queremos esquecer...
Não sei como consegue escrever tudo isso perfeitamente.Você é demais.Sério mesmo.
Suas palavras me emocionam muito... E não tenha dúvidas que minha admiração por você só cresce...
Muito fã....

Bjuxxxxxxxxxxxx,poeta preferido!!

Karina . disse...

. Só uma palavra ( e no caso, no plural ) : perfeitos !


lindos demaaaais os seus poemas, como eu já te falei . =)


beijão !

Rebecca disse...

Como assim duas mil visitas?! Caraca! hahaha
Você merece esse sucesso todo...Não tem uma pessoa que eu não mostre seu blog que não se torne fã.
Os dois poemas de hoje são lindos, mas o primeiro é tudo!!! tão lindo...mas é tão perigoso a gente gostar tanto de alguém assim...deu no que deu, né?
Beijos, poeta preferido!

juliana disse...

"Ponho meus olhos sobre ti.

(e fico...)"

Nada mais a dizer...

Beijos, poeta!

Laura disse...

Oi. =)
adorei o "Sobre tolices", tenho certeza que muitas pessoas vão se identificar! Eu nunca sei o que escrever, sempre acho que vou chegar aqui, me inspirar e responder algum dos seus poemas com outro poema... mas nunca consigo!
Prometo que um dia vc vai abrir os comentários e ver um poema lindo feito por mim em resposta ao seu. =)

beijos, querido. (QUERIDO!)

disse...

"Sobre o Céu" conseguiu colocar na poesia triste um brilho inexplicável.

Parabéns pelas visitas, elas só ratificam o quanto você é bom nisso professor !

;)

Adriana disse...

Definitivamente não ensolarado, mas é impossível não se identificar com Sobre Tolices...

Beijos

marianna disse...

=)

Não sei qual dos dois é mais bonito!

Parabéns! Você continua escrevendo muito bem!

=*

li disse...

como já te disse, "sobre tolices" é muito bonito.impossível não se identificar. mas "sobre o céu" é demais...adorei as palavras que você usou para dizer "você é a razão da minha vida"...
Beijo!

Bruna disse...

Arrasô.

:*

Rafael disse...

Os poemas estão muito bons realmente... E vc nao ta mal nao hein filipe, só comentários femininos... será q vai ler o meu?? huauhauhauhauha
ósculos e amplexos

nina disse...

e quem nunca se sentiu assim...
é porque nunca viveu...