segunda-feira, 2 de julho de 2007

Poema 14


Sobre o Pânico
Ladrões e contrabandistas
estão cercando os caminhos
Cecília Meireles
Carrego em cada bolso uma saudade,
mesmo que haja ladrões em toda parte,
e eu não tenha olhos para vê-los...

(o medo, no entanto, me permite senti-los
caminhando exatamente na minha direção)

Nem a luz do dia me alivia:
em cada sombra, ainda que distraída,
mora o perigo de um espanto.



(por Filipe C.)

12 comentários:

Mari disse...

Já disse que vc respira poesia, né?
;)

aninha disse...

Olá!
O título não podia ser outro!
Fiquei com medo só de ler o poema! E o pior é que eu sei que tem gente que se sente exatamante assim, toda paranóica!
Gostei bastante do poema!
Beijos, meu poeta preferido!

Rebecca disse...

Oi!
Não me assusta assim! Pensei que não fosse ter poema esta semana! Tô desde as nove entrando aqui e nada de vc atualizar o blog! Tava nervosa!! rs
Ficou lindo o poema, professor!
Mais triste e mais macabro que todos os outros. Fiquei meio sem ação depois que li, sabe? Não quero nunca passar por isso. Deve ser horrível...
Parabéns de novo!
Beijos!

bruna disse...

Filipe,
Li um poema seu no perfil do orkut de uma amiga minha. Encontrei seu blog por "acaso" e xeretei.
Gostei de todos os poemas e prometo voltar mais vezes.
Sinto sua poesia como uma reação à roda viva cruel do mundo contemporâneo. Ao se concentrar nas relações humanas, você lembra a todos que o homem, apesar de tudo, ainda sente. E por isso é Homem.
Não te conheço, mas te adicionei no orkut mesmo assim. Espero que aceite. Acho que lendo seus textos me tornei próxima a você, com todo respeito! ;)
Abraço!

Amélia disse...

Fantástico, como já havia falado com você...

Adoro!

:)

Priscylla disse...

Incrível como faz sentir a (já citada por você) "síndrome do pânico sentimental". Deveria escrever um livro, aliás, vários, como já te falei inúmeras vezes, e não vou parar. hahaha
Você tem uma sensibilidade incrível(que às vezes, alguns não gostam/entendem), e que consegue falar de tudo um pouco(ou muito!). Enfim..sou sua fã e espero que seu trabalho continue sendo muito divulgado, afinal, quando ouvir que o Sr. Filipe Couto está sendo muito requisitado contarei, me gabando, que foi meu professor e que curti "as fortíssimas emoções da nossa literatura"!
Beijos, parabéns, e muito sucesso!!

ps: Devo lembrar de parabenizar por sua coleção primavera/verão, que está um sucesso! Nada básica, ou convencional.. (hahaha)

bruno disse...

Gostei desse, cara!
O blog tá muito maneiro!
Abração!

Laura disse...

Oi!
Queria fazer um comentário crítico de grande profundidade, analisando amplamente esse texto, mas só consigo dizer uma coisa: está muito bem feito. =)
Um beijo, Filipe!

mariana disse...

Filipe,
Achei lindo o seu blog!
Parabéns pelos poemas! Adorei esse aqui! Você tem muita habilidade e muito talento!
Só acho que você deveria divulgar mais o seu trabalho!
Um beijo!

disse...

Eu nem tenho mais palavras para ficar dizendo o quanto eu gosto desse blog. Faz um tempo que eu não comento mas não deixo nunca de visitar !
Sabe o que eu queria ?
Uma poesia sua comentada na apostila ! hahahaha

bjo*

Diego Moreira disse...

Belas imagens, meu velho!

Karina disse...

Não tenho palavras pra dizer o que você significa pra mim e pra tanta gente. Esses poemas são só uma pequena parte do homem maravilhoso que você sempre foi e que sempre vai continuar sendo.
Que venha o livro! Não tenha medo!
Saudades..
Beijo, meu poeta!