segunda-feira, 9 de julho de 2007

Poema 15

Sobre Ignorâncias

Nem ninguém se lembrava da criatura
e de seus sofrimentos e de sua
atormentada vida ali deixada.
Jorge de Lima

Passei muitos anos (preso) nos meus porões (escondido),
treinando minha cara de surpreso,
ensaiando exclamações de desespero,
rezando para que você me ignorasse ou me traísse.

(às vezes acho que já nasci esperando o dia
em que finalmente poderia
te odiar)

Enquanto isso, você lá fora
ignorava esses meus silenciosos ritos
e com todo o amor que eu não te dei na vida
devagar me tecia
o mais belo luar.
(por Filipe C.)

15 comentários:

marianna disse...

coisa fofa, mt cuti cuti, dps do valladares obviamente...rs

Juliana disse...

Ora..ora..
Mas como você consegui tão bem falar de sentimentos tão contraditórios...porém me intristeceu, o ódio é um sentimento tão forte, tão negativo, me dá pena pensar que alguém possa senti-lo.
Quem te ve pessoalmente nem imagina que dentro daquele professor as vezes engraçado, as vezes serio, que muitas vezes se acha o super-homem ,há um ótimo poeta. Posso não concordar com muito do que você, Filipe , faz, mas uma coisa não há como negar, você é realmente um excelente transmissor das palavras e seus diversos significados.
Um beijo Grande.

Rebecca disse...

Ai, de novo eu perdi a chance de ser a primeira a comentar! hahaha!
Poxa, além de dia, você tinha que ter um horário pra colocar a poesia da semana! hahahaa
Bom, pra variar, acho que você se superou esta semana. Conseguiu fazer de uma coisa horrível uma coisa linda de ser lida e mais bonita de ser sentida. Fiquei morrendo de pena da moça na última estrofe... =/
Um beijo, meu poeta preferido!

Priscylla disse...

Agora entendi o "nova" hahaha =)
Essa poesia é linda, apesar de ser horrível se sentir como o eu-lírico, que você, mais uma vez, descreveu com exatidão. Já conversamos sobre ela, então, nada mais a dizer, além de querer seu livro! Vou fazer uma campanha "Livro do Couto já!" hahaha

Beijos, poeta

Amélia disse...

Filipe, esse foi fantástico!
Um dos mais perfeitos que já li por aqui... lindo, lindo, lindo...

:*

Lu disse...

Lindo como sempre. E insuportavelmente verdadeiro como sempre. Fiquei muito tempo lendo esse poema e acho que o mais bonito dele é o título. Perfeito!

Juju disse...

Se eu disser que não tenho palavras pra comentar sobre esse poema, você interpretará que é um dos mais lindos de todos aqui?

Só posso dizer uma coisa: "Parabéns!".

Bjuxxxx professor...

Drica disse...

Definitivamente bonito.

Definitivamente não é meu favorito...

tayná disse...

Ah Couto!

Esse poema é lindo!!!!!! Você tinha que mostrar mais esse seu talento...Não é qualquer um que faz uma coisa assim não!

Vou me juntar à campanha "Livro do Couto já!" hahahaha

disse...

Claustrofobia sentimental... Perfeitamente descrita.

Como sempre !
;*

Ya disse...

Não sei escrever comentários tão bem elaborados quanto o de tanta gente, com profundas análises do poema e tantas críticas.

O que eu sei é que seus poemas são maravilhosos, perfeitos! Sei que eles tocam a gente de uma maneira especial...! Um é mais lindo que o outro, cada poema encanta, enfeitiça sempre de uma maneira nova e única, só sua!

Grande Artista!

Paulo disse...

Só transcrevendo aqui o que acabei de te dizer no msn: "esse poema é foda!"
hahaha
Abraço!

Roberta disse...

Que poema mais lindo!!!
Mas q sentimento tão triste, deu uma pena enorme no final.
Como muitos já disseram aki: Perfeito!!!

Parabéns Couto!!!!

Brunão disse...

Muito maneiro o blog, cara!
Aproveita as férias!
Abraço!

Nathalia disse...

nao sei pq, sinto como se tudo fosse dirigido a mim como um foguete.... talvez seja o q vc me ensinou em aula...... talvez nao...... q sabe?????