segunda-feira, 25 de junho de 2007

Poema 13


Sobre Travessias
É o tempo da travessia: e se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.
pensamento atribuído a Fernando Pessoa

Sei que muitas vezes temos que esquecer
nossos caminhos, porque senão sempre
chegaremos em desalinho aos mesmos lugares.

Sei que é preciso esquecer as velhas roupas:
elas já têm o formato dos nossos corpos
e sufocam os nossos esforços de transformação.

Mas sei também
que é tarde demais para esquecer seus olhos...

(eles são tão doces e tão radiosos,
que estavam postos na minha memória
antes de a nossa história acontecer...)


(por Filipe C.)

24 comentários:

Laura disse...

Vim aqui só porque eu estou te devendo mesmo, mas prometo pensar em um comentário bacana da próxima vez.
Não preciso dizer que tá lindo, né?
Um dia vou escrever como você, pode apostar!
Por que você não publica um livro?

beijos, Laura.

Lara, sempre ela... disse...

Bonita a nova versão.
É porque tem coisas que só podem ser se forem diferentes.
Mas é bonito como as outras versões, como os outros poemas.
E é porque tem coisas que só são o que são por terem sido o que foram.
Beijo

Amélia disse...

Encantador...

A cada dia me impressiona mais! Realmente maravilhoso!

:)

Mari disse...

(eles são tão doces e tão radiosos,
que estavam postos na minha memória
antes de a nossa história acontecer...)

é mais do que sensacional.. isso sim!

=) adoro!

Rebecca disse...

Oi, Filipe!

Queria te dizer que o seu poema desta semana me ajudou muito. Por mais que a gente saiba que é preciso caminhar, algumas coisas nos prendem ao passado. A gente quer continuar preso. Isso me deu paz...Grande lição de um professor maravilhoso e de um poeta melhor ainda.

Te adoro!
Beijos!

drica disse...

Ora, ora... A parte não ensolarada foi limada do poema, não é? Mesmo pedindo sol e alegria eu preferia a outra versão...

Ainda devendo!!!

Beijo

Priscilla disse...

simples e perfeito..amei! =)

Bruno disse...

Insisto: você tinha que ler isso em sala, cara! Tem que dar um jeito de divulgar mais isso! Você é muito bom!
Abração!

ya disse...

"é tarde demais para esquecer seus olhos..."

Adoro esse!!! Lindo!!! Adoro todos!!! Um melhor que o outro!

Sua fã número 1

Viviane disse...

A cada segunda, um poema melhor!
=)

Anônimo disse...

censura?

Pedro disse...

Achei genial a forma como você trabalhou o clímax do texto, dando a entender uma coisa para no final dizer outra. Mas, com todo respeito, não acho que esse poema esteja no nível dos demais, como as pessoas aí em cima estão dizendo. Acho que você teve uma boa idéia, mas a trabalhou mal. Sei lá...Minha opinião...Espero ter contribuído pra que você melhore ainda mais, porque gosto muito do que você escreve!
Abraços!

Carol disse...

Aproveitando o comentario do Pedro, gostaria de dizer q senti o mesmo. A frase de impacto esta muito bonita, mas acho q vc tem q tomar cuidado para nao cair no comum. Poemas falando de amor vemos o tempo todo. Acho q o diferencial de alguns dos seus faltou nesse....seu toque singular.
Outra coisa q gostaria de dizer q é sinto as vezes uma coisa tipo "pretinho basico", sabe?!
Confesso q venho sempre aqui, nao por me sensibilizar com tal arte, mas pq me encanta a maneira como vc escreve, dando o gosto, ate pros q menos gostam, de ler algo bem elaborado, mas simples como deve ser.
Desculpe qq coisa, a critica é a mais construtiva possivel, como vc pode imaginar!
Esse poema ta "badalado", hein! ;)
Com carinho,

Filipe disse...

Dizem que toda unânimidade é burra.

Obrigado pelas críticas construtivas, paulo e carol! Obrigado, sobretudo, por saberem que faço o meu melhor!
Obrigado pelos elogios dos demais!

Nem todos os poemas tocam o coração de todas as pessoas. Nem todos os olhos percebem os mesmos detalhes. Nem todas as palavras são ouvidas da mesma forma.

Ainda mais quando são 200 corações, 200 olhos, 200 ouvidos toda semana...

Beijos e abraços!!!

Aninha disse...

Filipe,
Sua resposta foi brilhante, como seus poemas. Parabéns pela humildade!
O poema é perfeito pra mim...Tem sim o "seu diferencial" e acho que atingir o "clímax" é construir bem o texto...Talvez meus olhos, coração e ouvidos sejam parecidos com o seu! ;)
Beijos!

Carol disse...

De fato, cada momento, cada palavra, cada olhar, um segundo, um verso, uma estrofe...detalhes...sao unicos diante dos olhos de quem ve, do coraçao de quem sente. Esta ai toda a graça nao so de poemas, textos ou poesias, mas da vida.
Ser humilde é uma virtude. E criticar é muito facil. Dificil é admirar e reconhecer, como reconheço e admiro o seu trabalho. Ainda mais dificil, acho eu, é a sinceridade. Sinceridade q sobra nos meus inumeros elogios a voce. Mas acho q vc sabe disso.
E todos sabemos nao so do seu esforço para fazer o melhor, mas do melhor q vc faz. E q faz como ninguem!
Me desculpe, mais uma vez, talvez esse nao tenha sido o q mais me tocou. Talvez tenha um motivo. Talvez, e so talvez, eu ainda continue lendo as coisas q vc escreve com um sorriso no rosto. =)
Um beijo!

bruna disse...

Olá,
Sinceramente, não entendo tanta polêmica. Um poema não é pra todo mundo gostar. Como filmes, peças e afins...
Pra mim, por exemplo, esse é lindo!

camila disse...

Acho que o Couto criou este blog para divulgar o maravilhoso trabalho e receber tanto críticas, quanto elogios, para que possa estar sempre aprimorando esse talento. Todos estão bem escritos, gostar mais de um ou outro é questão de opinião mesmo. Também sou do time dos que não gostaram tanto desse. Faltou algo no desenvolvimento do assunto, pra mim.
Você vai longe, professor! Já virei fã do site! Estou esperando agora o lançamento do livro! E ainda espero ouvir em sala um de seus belos poemas.

Lyka disse...

Conheço o Filipe desde os tempos de faculdade e não esperava que ele respondesse de outra forma a qualquer crítica. Mesmo sem precisar, ele é das pessoas mais humildes que eu conheço.

Gente, sabe o que falta nesse poema? Você ter passado pelo que ele tá falando. Ter a necessidade de mudar, de transformar, mas ficar preso a algo mais forte, que você não tem como controlar.

O poema cabe perfeito em mim e por isso é lindo, e por isso é arte.

Meu amigo, esse é o preço do seu sucesso! As pessoas sempre vão esperar que você seja sempre perfeito para elas...

Um beijo de quem te admira demais!

Bruno disse...

"Você ter passado pelo que ele tá falando."

De vez em quando eu penso sobre isso, será que é necessário ter experiência de vida para escrever/compreender poemas?

Guilherme disse...

Fala fera!
Tá muito maneiro o blog!
Parabéns!
Tem que escrever o livro!!!
Abração!

Dani disse...

Oi, Filipe!

Um amiga minha já havia me indicado o blog há bastante tempo, mas só hoje resolvi entrar. Achei seus poemas fascinantes. Você tem bastante talento. Mas teve uns versos que mexeram demais comigo e queria saber se podia usar no meu perfil do orkut: "Só nos unimos quando sofremos sozinhos,
só nos amamos quando não fazemos o certo.". Ficaria muito feliz se você permitisse, mas também entenderia se você negasse. Adicionei você também no orkut. Desculpa pelo texto enorme. Acho que só queria dizer o quanto acho que você é especial.
Abraço!

Filipe disse...

Bruno,
Acho que por "experiência de vida" deve-se entender maturidade. E essa maturidade pode vir de diversas fontes: da própria vida, ou de livros, filmes, pinturas, peças...da arte, enfim, que sempre tem esse papel de nos mostrar algo mais do que nós próprios somos. Ler (ou escrever) é uma tarefa que, no entanto, requer bastante atenção para que nenhum detalhe passe despercebido! E só a experiência traz isso! Espero, com este blog, estar contribuindo para que a perspicácia lírica de todos os leitores se desenvolva!
Um abraço!

Nathalia disse...

Filipe.... professor, oq posso dizer??? retiro oq disse qd afirmei q suas poesias eram fracas e bobinhas....... essas q eu estou lendo realmente me tocaram no fundo da minha alma