segunda-feira, 2 de abril de 2007

Aos Leitores

É curioso que todo marinheiro saiba que nenhuma chegada é tão fascinante quanto a viagem que se realiza. Por mais bravios que sejam os mares, por mais duras que sejam as privações impostas pelo isolamento, por mais cansativas que sejam as rotas escolhidas, o verdadeiro prêmio do navegante não é o porto seguro, mas a experiência recolhida no caminho. Sugere-nos Guimarães Rosa, sabiamente, em sua obra-prima: "o saber não está nem na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio travessia". Talvez o ser humano precise mesmo de viagens para conhecer a si próprio e ao mundo que o cerca. Talvez toda viagem simbolize um renascer mais vivo e mais produtivo, tanto mais seguro quanto desafiador.
A proposta desse Blog é, por isso, (ajudar a) trilhar viagens. Trata-se de um espaço para a experimentação de formas e para o (re-) conhecimento individual. Livres de pretensões conclusivas, apresentamo-nos.

2 comentários:

Anônimo disse...

não vestes fantasias

és meu poeta.

Anônimo disse...

Estava lendo seu poema sobre o destino. O que você pensa a respeito dele? Será que ele realmente existe? Ando pensando muito nisso ultimamente, gostaria que ajudasse na minha reflexao!
seus poemas sao lindos =)