segunda-feira, 18 de junho de 2007

Poema 12


Sobre Lágrimas
Vamos, não chores.../ A infância está perdida.
A mocidade está perdida./ Mas a vida não se perdeu
Carlos Drummond de Andrade
Chora baixinho, que desespero
não é coisa de se espalhar por aí...

(também eu tenho guardado alguns segredos:
arrependimentos – ou ressentimentos? – das coisas que já vivi)

Não quero que a nossa vida seja um livro aberto:
Só nos unimos quando sofremos sozinhos,
só nos amamos quando não fazemos o certo.
(por Filipe C.)

14 comentários:

Amélia disse...

Adorei!!

A última estrofe, a mais perfeita, como sempre! Lindo!

:D

Rebecca disse...

Há muito tempo não escrevia aqui, filipe.
Mas "só nos amamos quando não fazemos o certo." merece um comentário: lindo!
Beijos, meu poeta!

Bruno disse...

Passei uns quinze minutos lendo o poema, adorei a diversidade de sentidos. Abraço!

Lívia disse...

Já visitei o blog várias vezes, mas nunca tinha comentado. Depois desse post, me vi na obrigação de fazê-lo, seja pela citação de "Consolo na Praia", que sozinha já me faria comentar, seja pela qualidade do seu poema de hoje. Lindo, simples assim.

lu disse...

acho que é unânime: simples e perfeito.

sandra disse...

Não comento há muito tempo aqui, mas nunca deixo de visitar. Qua "as outras palavras" tenham uma vida longa para que você possa nos deliciar com belos poemas como o desta semana. Obrigado!
Beijos!

Paulo disse...

Sensacional, cara!
Publica um livro!
É sério! Muito melhor do que muita coisa que eu tenho visto por aí. Você é gênio!
Abração!

Juju disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juju disse...

Parabéns professor!!
Muito lindo, mas meu preferido continua sendo o último.
O melhor do texto pra mim:
"(também eu tenho guardado alguns segredos:
arrependimentos – ou ressentimentos? – das coisas que já vivi)".
Arrependimento... acho que não devemos nos arrepender de nada, somente daquilo que deixamos de fazer....Não existe coisa pior que ficar com aquele "E se" na cabeça, afinal, melhor tentar e não dar em nada que deixar a oportunidade passar....Quanto aos arrepedimentos, alguns passam com o tempo, já os não superados aprendemos a, simplesmente conviver com eles...
Amei.....
Lindo!!
Bjuxxxx
;)
(Desculpe pelo comentario grande)

Mila disse...

Consigo imaginar você declamando seus poemas como nas aulas inesquecíveis que pude assistir!!!
Que são lindos, isso eu sempre disse; mas esse em especial tocou meu coração!!!!
Cada dia vc se supera!!
E nós, leitores, te admiramos cada vez mais!!!!
Vc merece muito sucesso!!!
bjs

malu disse...

Você é realmente especial, Filipe. O cuidado que você tem com seus alunos, a delicadeza dos seus poemas, a dedicação aos amigos e ao trabalho...Tudo isso faz de você uma pessoa rara. É difícil encontrar um filipe couto por aí.


Esse seu poema de hoje é lindo, mas achei duro demais. Às vezes nós temos que sofrer pra nos libertar e mostramos esse sofrimento porque buscamos em qualquer pessoa uma palavra que possa nos confortar. Será isso errado?

Um beijo de quem te admira muito!

Vivian disse...

Me fazer ficar comovida durante as aulas da 309/2006, tudo bem. Agora, na minha própria casa? Só você mesmo!

Parabéns!
Tudo lindo aqui!

Nanda disse...

"Mas a vida não se perdeu"

Vou repetir esses versos do drummond todo dia quando me levantar!

E os seus todo dia, quando for me deitar!

Eu te adoro, Filipe!

Tatiana disse...

Nossa simplesmente perfeito!!!!!

mil parabéns sobre o blogger!!! :))