terça-feira, 19 de agosto de 2008

Poemas 86 e 87


Sobre Angústias


Será que Deus
vai um dia me redimir

de todos os pecados
que eu nunca cometi?

(por Filipe C.)

Sobre Casas Antigas

Gosto da sabedoria
das casas antigas:

nem todas as janelas
abrem facilmente.

E mesmo as que o fazem
precisam de um suporte

para não fechar
de repente.

(por Filipe C.)

13 comentários:

Filipe disse...

1 – Pessoal, esse negócio de livro é complicado. O mercado editorial brasileiro para poesia é muitíssimo pequeno e não tenho paciência de bajular quem poderia abrir portas para mim. Até que a oportunidade apareça ou que Vovô Chico me direcione para outro caminho, fico com o blogue, que me faz feliz. Obrigado pelo incentivo!

2 – Vivi, os haikus são uma forma elevadíssima de poesia, na minha opinião. Por ora, penso não ter competência técnica para realizá-los. No entanto, concordo que tenha experimentado formas que se aproximam da linguagem desse tipo de poema. Agora, comparar-me ao mestre Carpinejar é de um exagero constrangedor! =)

Monique Monteiro disse...

Aah que lindo Filipe!!
Seus poemas trazem imagens instantâneas na minha cabeça..
"Sobre casas antigas" como me lembra o meu avô.. e o anterior "Sobre mudanças" me fez lembrar do mito da transeferência de almas no beijo, e que outra maneira mais forte de demonstrar o amor,se não pelo beijo?!
Adorei! Parabééns!!
bjos

Raquel disse...

Tudo que é antigo tem grande sabedoria. É só olhar com cuidado.
Só não acho que penso do mesmo jeito que você. Gosto mais da Marisa Monte quando ela canta em Vilarejo: "portas e janelas sempre abertas pra sorte entrar"...
Mas vai que a casa da música é nova, né?
No final isso tudo é pra dizer que esse poema me fez pensar bastante! =)
Beijo!

nathália disse...

AMEI o "sobre angústias"!

às vezes é melhor ousar, mesmo sabendo que nosso desejo é proibido, para não ficar se torturando depois com o tal do "e se..."

o das casas antigas também é bem legal!

fico encantada com seu jeito de pensar as coisas! te conheço pouco, mas sei que você é sensacional!

um beijo! depois visita meu blog! deixei no seu orkut!

dani disse...

Lipefi(assim até o comentário dispensava identificação!),
vim aqui te parabenizar pelo blog e por todo o seu trabalho!Está excelente!
Adorei o "Sobre Angústias"!
Beijos, tudo de bom!

Ta disse...

Tenho a impressão que você é uma das únicas pessoas que tem a capacidade de me emocionar. Esses poemas são diferentes dos outros, mas estão muito bons! Sou viciada nesse blog como já fui viciada nas suas aulas e ainda sou viciada em ficar horas conversando com você. É uma honra ter sido sua aluna e ser hoje sua amiga e admiradora. Estou contigo pro que der e vier! =)

ta disse...

ah! gostei mais do "sobre angústias", mas o outro é muito bom também! hahaha

joana disse...

Eu acho que eu gostava mais dos poemas antigos. Muitos dos poemas novos eu não consigo nem entender!
Sobre Tempestades é meu preferido!

Elisa disse...

Filipe, agora sou oficialmente aluna de produção editorial...
Assim que eu me tornar diretora de edição de uma grande editora do Rio, a gente publica seu livro...
Adorei os poemas... os da semana passada também...
Nem sempre comento, mas estou sempre aqui...
Beijos!

Luiz Antonio Simas disse...

Olha, rapaz! Eis que ao entrar no blog do camarada de curimba Diego Moreira me deparo com o vosso. Que surpresa. Começarei a ler imediatamente.
Abração!

R.Laplace disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R.Laplace disse...

No geral coisas antigas são mais valiosas...
um beijo!

Luiza disse...

adorei o "sobre angustias", mas eu acho que o "sobre casas antigas" reflete mais o cotidiano das pessoas...