terça-feira, 12 de agosto de 2008

Poemas 84 e 85


Sobre Limites


Não me dês o céu,

que o céu é limite
de tudo que existe.

E a vida
(ah, a vida...)
a vida é muito mais querida

quando
sonhadoramente

desmedida.

(por Filipe C.)

Sobre Mudanças

O amor
trouxe suas malas

e fez minha alma
mudar de casa.
(por Filipe C.)

9 comentários:

Filipe disse...

1 – fabi, nunca fiz uma análise sobre a presença das oposições nos meus textos, mas pode ser que você esteja com a razão! Vou dar uma olhada!

2 – vivi, adorei o “É como a "lagarta listada" que a gente não consegue parar de olhar naquele poema do Manuel Bandeira”!

3 – Amanda, blogue é a forma que nossos primos lusitanos utilizam para nomear este espaço virtual. Eles têm “mania” de aportuguesar os estrangeirismos, o que, na minha opinião, é pertinente! Daí minha preferência!

4 – Juju, estou ficando velho: as crianças andam passando longe daqui. Quanto às montanhas, sempre tive medo de altura. ;-)

5 – Renata, você arranjou uma prima! =)

6 – Pessoal, obrigado por gastar um tempinho pra escrever aqui que simplesmente gostou dos poemas. É muito gratificante receber esse carinho!

Juju disse...

Ah meu caro, só se fica velho a partir do instante em que se sente assim. Enquanto a criança ( ou pelo menos o adolescente) que voce tenta esconder ai dentro estiver vivo, será sempre um menino. Ou meninão.hahahaha
Mas não sei porque, seus textos parecem muito com um coração de uma dessas pessoas apaixonadas pela vida. Por isso digo que o máximo que está acontecendo é que está ficando experiente.
Está lindo tudo por aqui. Havia esquecido a paz dessas palavras.
Lindo.
E cadê o, livro?
bjuxx

Livia Fada disse...

Como sempre... sensacional!

Concordo com a juju... Vc deveria publicar um livro! Com certeza teria muitos leitores =)

Parabéns mais uma vez =)

beijos

Martha disse...

Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii o "Sobre Mudanças"!!!

Juliana Pessanha disse...

Sobre Mudanças é perfeito mesmo!

Quando o amor chega, nossa alma passa a pertencer a outra pessoa... parece mesmo que ela se mudou!

Brilhante! De onte você tira essas idéias?!

=)

vivi disse...

Concordo com a juliana e com a martha: sobre mudanças é um dos melhores poemas dessa sua nova fase de poemas mais curtos.
Parece que você está se aproximando dos haikais, não?

Mas eu gostei mesmo do sobre limites. Muitas vezes já vimos poemas e músicas em que o grande objetivo é ficar perto do céu. Você redefine esse clichê, indicando que sonhar é mais importante que ter. Porque sonhanado sempre há algo a buscar. Quando se tem algo, mesmo que bom como o céu, corre-se o risco do tédio. Acho que foi o Fabrício Carpinejar quem disse uma vez que a melhor maneira de não esquecer o paraíso é perdê-lo.
Você disse isso de uma maneira linda!
Perfeito!

claudio disse...

gostei do pequenino sobre mudanças.
um tanto sentir em poucas linhas!!!
tu é fera rapá!!!! livro, livro, livro!!!!

FABI disse...

Adorei os 2..
=)

Beijo.

ana carolina disse...

Conhecer sua obra trouxe luz à minha noite tão sombria.