segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Poema 42

Olá!
Já expliquei aqui, neste nosso espaço, que poucas vezes a voz lírica dos meus poemas se confunde com a minha própria voz. Pra mim, a poesia é o momento da fantasia, das vidas que eu não vivi ou das que eu ainda vou viver ou das que eu vivo pelos outros. O poema de hoje, no entanto, é diferente. Talvez a tessitura não esteja tão boa. Talvez a mensagem não esteja tão bem trabalhada. Mas foi o que eu quis escrever. Ainda esta semana, eu publico aqui um outro, no estilo dos que vocês já se acostumaram a ler. Hoje, com a sua licença, vai este aqui.
FELIZ NATAL!

Sobre o Natal

A memória dos meus dias de criança
bate mansa hoje à minha porta.

Já não me importa mais ganhar brinquedos:
embora creia ainda ser um menino
(pois tenho medo de crescer sozinho),
não perco o sono, nem acordo cedo
na manhã de Natal, à busca do rastro
de um improvável Papai Noel.

Tudo de que eu preciso pra ser feliz
é ter as mãos sempre sujas de giz,
cuidar da minha família e dos meus amigos
(na terra e no céu)
e poder brincar com o lápis
num pedaço de papel.
(por Filipe C.)

5 comentários:

disse...

Feliz Natal eterno professor. E que muitas pessoas ainda possam ter a honra de passar pelas suas mãos sujas de giz.

Ana Beatriz disse...

Couto..
ADOREI ! Quem dera que todo mundo pudesse ter o prazer de conhecer esse professor que para ser feliz precisa ter as mãos sujas de giz !

Feliz Natal pra vc Filipe !
beijoooos

Juju disse...

Como gostaría de acreditar ser eu uma menina. Como queria manter meus sonhos, meus desejos, minhas fantasias de criança. Talvez, como você mesmo disse, porque tenha medo de crescer sozinha.
Essa época de Natal (e final de ano) só me faz olhar para trás e perceber que tudo valeu a pena, até mesmo aqueles momentos em que a coragem de enfrentar meus medos (e as pessoas) de frente foi embora, deixando somente a insegurança dos meus atos.
Espero que possa ter sempre todas essas coisas que precisa para ser feliz.
Feliz Natal!

Thay disse...

que honra que tenho de ter te conhecido
que honra de ter desfrutado de suas aulas
vc é incomparavel,inexplicavel.
sucesso

Nathalia disse...

se eu disser aqui que esse me emocionou mais, por imaginar exatamente VOCE lendo, e dizendo o que realmente sente, eh valido?
e a parte 'das maos sujas de giz'..... ah, mas que verdadeiro. e tu pode ter a certeza que as suas maos estarao sempre sujas de giz, pq pra alguem que exerce o 'educar' tao bem quanto voce nunca faltarao gize's para as sujar. parabens nao so pelo poema, felicidades nao so pelo Natal, mas um MUITO OBRIGADA por um ano que se encerra e eu digo que voce marcou mais que 365 dias, mas uma etapa que sera eternamente lembrada com muito carinho.
felicidades, Couto. e siga sempre sendo esse profissional unico, esse poeta magnifico que voce continuara encantando a todos.