segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Poema 40


Sobre Bonecas

A boneca de pano,
mesmo depois de anos
esquecida num canto,
ainda não consegue cair no sono...

(será que ela ainda espera um campeão
vir libertá-la das suas amarras
feitas com fios de algodão?)

Minha boneca de pano,
deixa-me hoje te embalar
ao som do meu coração:

também eu não durmo porque
tenho medo de entrar no escuro
que desperta a solidão...


(por Filipe C.)

5 comentários:

Juju disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávia disse...

Nossa, bonito demais... Qual o melhor ombro senão o de quem passa pelo mesmo que nós? A compreensão é reconfortante.
Um beijo grande.

Rebecca disse...

adoro quando você escreve usando o mundo das crianças...é tão lindo...saudades!

mari disse...

é realmente muito bom a gente encontrar alguém que sinta o mesmo que a gente. Mesmo que esse alguém seja de mentirinha. Genial a idéia desse poema. Parabéns!

Anônimo disse...

bendita uma noite de sono ao lado do meu querido campeão ;-)