segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Poema 30


Sobre Cicatrizes

Não pudeste ser
o meu refúgio, a minha mina escondida;

foste antes o palco iluminado em que
se apresentaram sonhos, medos e feridas.

Para te lembrar, não precisarei de retratos:
bastará olhar o meu próprio peito com cuidado.

(serás sempre a minha mais linda cicatriz)

(por Filipe C.)

12 comentários:

lú disse...

lindo!!!!

=*

Juju disse...

As mais belas cicatrizes que possuimos foram feitas por pessoas que, inegavelmente, tiveram ou têm um valor inestimável. Com quem construimos sonhos, fantasias, dividimos nossos medos (grandes ou pequenos), angústias...
Por mais que elas acabem se afastando um dia, sempre terão um significado único na vida de ambas.
Lindo esse poema...de uma sensbilidade....
Parabens,como sempre, arrasando!!!

Bjuxxxxx, poeta sempre preferido!

disse...

Entre a dor e a beleza da lembrança, esse eu lírico me deixou na dúvida.

Bonito porque é axatamente assim.
;*

Anônimo disse...

O valor que uma pessoa nos passa nunca sa�ra daqui de dentro, se errou ou se fez o bem, n�o sa�ra, t� bem escondidinha... antes como uma ferida ainda machucada, e hoje como cicatriz que ser� bem lembrada. =)

marianna disse...

O mais bonito de todos...
Lindo! Delicado, mas forte como sempre!
=)

Rebecca disse...

E o meu poeta preferido se supera novamente!
Quem não tem uma cicatriz dessas, que atire a primeira pedra!
Beijos!

Anônimo disse...

perfeito.

Amélia disse...

Lindo, Filipe!

Fabuloso!

:O

cris disse...

Emocionante e delicado.

acho lindo como vc consegue falar tão bem sobre as relações humanas...

Grande poeta! Parabéns!

Luisa Bustamante disse...

pois é... as cicatrizes.

Lindo!
Parabéns pelo blog! entra nos meus favoritos!

Claudio Henrique disse...

nenhum poema tem sentido se não sangrar e nos fazer sangrar... eis o ojetivo do poema: descobrirmo-nos
humanos... abraços!!

Camila disse...

Como vc consegue ser um poeta perfeito e apaixonado... Lindo! Aliás, como td q vc faz!!!