quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Poema 141

"Não penso; logo, assisto"*

Mal abro os olhos,
já vem alguém aqui
me ditar o que pensar,
o que fazer –

corporações, jornais,
pessoas, tevê,
rádio, internet,
revistas, família,
você.

Nesse mundo etiquetado,
eu quero é a dor e a delícia
de uma alma suburbana –

barriguda, livre e minha:

já cansei de delegar a eles
este meu sagrado direito à vida.
(por Filipe Couto)

*Vi essa frase num grafite feito em Botafogo, RJ.



1 - Para comprar meu livro ("Breves Cantares de Nós Dois"):

20 comentários:

Viviane disse...

hahaha!
G-E-N-I-A-L!!!!!!
Não sou de comentar, mas esse eu adorei!!!!
Parabéns!

Renata Portugal disse...

Demorou para retornar, mas voltou com tuudo!!!
PARABÉNS!
Belíssimo esse!!!!
ADOREI!

Beijos, com muito carinho,

Malinha.

Rebecca disse...

Nunca imaginei que fosse gostar dos seus poemas que não são de amor. Você está provando que eu estava enganada!

Que poeta maravilhoso que você é, Filipe!

Parabéns!

Amanda Barcellus disse...

Concordo com a Renata! Você voltou com tudo! Está maravilhosa essa sua nova fase!
Estava morrendo de saudades dos áudios! Não deixa de colocar!
Você ainda vai escrever poemas de amor?
Beijo!

Teresa Cristina disse...

Sua leitura é maravilhosa...

Amanda Pereira disse...

Ainda não tive aula com você!!! Você vai me achar maluca se eu levar seu livro pra você autografar logo no primeiro dia? hahaha

Amanda Pereira disse...

Ah!!! Eu adorei o poema!!! =)

Matheus Kleinn disse...

Me diverti muito com o poema, embora o assunto seja sério!
Parabéns, Couto!

Filipe disse...

1 - Obrigado, Viviane!

2 - Renatinha, seu incentivo é (e sempre será) fundamental!

3 - Rebecca, fazer uma transição temática não é fácil! Que bom ter essa sua aprovação! Indica que estou no caminho certo!

4 - Amanda, alguns poemas "pedem" uma leitura silenciosa; daí eu não disponibilizar sempre o áudio! Claro que os poemas de amor volta e meia estarão ainda por aqui!

5 - Teresa, espero que você tenha gostado do poema também! Obrigado pelo elogio!

6 - Amanda, vou adorar assinar seu livro!

7 - Obrigado pela força, Matheus!

Sérgio Medeiros disse...

Espero que tenha voltado com muito fôlego :-)

Já que a fase é nova, talvez vc devesse começar a contar de novo os poemas :-)

Luana C. disse...

PERFEITO ! amei = )

Renata de Aragão Lopes disse...

Melhor
do que a mensagem
em si

foi ouvir
o prazer
com que a pronunciou.

BRAVO!

Abração, Filipe!

Filipe disse...

1 - Sérgio, é uma excelente ideia! O problema é que as velhas ideias vão conviver com as novas! Será que assim não vai ficar confuso? Abraço, poeta!

2 - Luana, obrigado pelo carinho, moça!

3 - Renata, um beijo estaladíssimo pra ti!

Eu,Pamela Gama. disse...

não sei o que é mais lindo,somente ler o texto, ou ouvir sua voz colocando emoção nas palavras! muito lindo!

Filipe disse...

Oi, Pamela!

Obrigado pelo carinho de sua visita e de seu comentário!

=)

Beijos!

Nydia Bonetti disse...

Também "curto" as dores e a delícias de me saber única, independente e diversa, enquanto quase todos querem ser iguais. :)

beijo, boa semana.

sylvia disse...

adorei esse tbm
e vc dando voz ao poema , me lembra algumas aulas q tive com vc
parabéns !!
beijos poeta

Filipe disse...

1 - Nydia, no final é isso que importa, né? =)

2 - Sylvia, espero que as lembranças sejam boas! =)

Pedro disse...

Professor, lendo esses poemas não há como não comprar seu livro e, com certeza, levarei para você assinar!
Abraços

Amélia Losada disse...

Perfeito!
Perfeito!
Perfeito!