terça-feira, 21 de outubro de 2008

Poemas 96 e 97


Este blogue só volta a ser atualizado dia 11 de novembro; por isso, dois poemas hoje. Abraços e beijos a todos!


Sobre Desconfortos

Nunca aprendi a dizer
(olho no olho)

o que de mim é dor,
paixão, alegria ou lamento.

Pesa-me esta sensação
de estar a mais no mundo:

para viver,
faltou-me o talento.

(por Filipe C.)

Sobre Feriados

Chegou a hora
de rasgar uns retratos
e deixar a vida por aí ao acaso:

a partir de agora
(no coração)

todo dia é feriado.
(por Filipe C.)

10 comentários:

Filipe disse...

Oi, pessoal!

O trabalho anda apertando muito! Final de ano para professor é sempre complicado. Por isso, a opção por só voltar a atualizar o blogue dia 11 de novembro, depois da prova de Português e de Redação da UFRJ.

Vamos às respostas:

1 – Juju, já conversamos. Não dá para comparar meu poema com o do mestre Antonio Cicero. Convenhamos: ele sabe tudo. Ah, para que todo mundo saiba: o poema de semana passada dialoga com “Sobre Gaveta de Guardados”, poema 36 do blogue. =)

2 – Não gosto de comentários anônimos, porque não há motivo nenhum para isso: trata-se de um blogue para amigos. Por isso, inclusive, a única divulgação dele é por meio das minhas páginas do orkut. Na semana passada, abri uma exceção para um comentário desse tipo porque veio sob a forma de poema. Uma pena eu e os leitores não sabermos de quem é o texto, porque se trata de alguém com bastante potencial lírico.

É isso! Um abraço a todos!

Kakau disse...

Belos poemas. Um pouco triste, mas belos.

Beijos
=***

sakura disse...

olá
simplesmente perfeitos esses dois último Filipe. Parabéns, gostei mesmo^^

aaluah disse...

Há de chegar o dia em que tudo que eu diga seja poesia.






A meu ver, a poesia é o ápice do lirismo. A forma mais bonita de juntar as palavras, as quais têm de mim minha maior admiração. Queria eu ter o talento que te falta para viver e usá-lo para dar vida às poesias.


Um abraço de sua mais nova admiradora,

Fabi disse...

Tô sempre aqui, mas não comento sempre. =) Gostei demais de "Sobre Desconfortos".

Hmmm, gostei demais da data da próxima atualização também! =b

Beijo, Filipinho.
=*

Pedro Renaux disse...

Couto, Couto...

um beijo pra vc, queridão!!
só queria que vc soubesse que vira e mexe eu passo aqui pra te ler!!!

Qlq dia,quem sabe, eu pinto lá no pH!

Renata Portugal disse...

Malinha,
tem um tempo que não passo para comentar, leio todos os poemas!
Esses dois são incríveis, o desconforto foi tão bem interpretado e o feriado fez tanto sentido quando interiorizado, amei!

beijo grande!

Fernanda disse...

Olá, Couto!
Sou sua aluna no colégio, e tem um tempo que leio suas poesias aqui no blog. Parabéns por eles!

Bjos, Fernanda.

Karen Sampaio disse...

Primeira vez que leio seus poemas, adorei! Você é demais

aaluah disse...

eu nunca sei o que comentar. simplesmente fico atônita...

eu só sei sentir! principalmente quando o poema toca o âmago dos meus sentimentos, até porque muitos sentimentos (como esses poemas) são apenas sentíveis.