segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Poemas 34 e 35


Sobre Medidas


Pudesse eu medir
meu mundo com as tuas mãos,

e (ainda assim) enxergar
as chuvas e as flores
como elas realmente são.

(por Filipe C.)


Sobre Mergulhos

Quando, à minha volta,
o escuro faz tudo mais naufragar,

eu mergulho no tempo, nado
e invento como tudo poderia ser.

(abençoado é esse momento
que me leva até você)
(por Filipe C.)

7 comentários:

mari disse...

Alguém já comentou que esses seus poemas pequenos são os mais bonitos! Eu concordo! Você tem uma bela capacidade de dizer muito com pouco!
Adorei o primeiro. Como conseguir se apaixonar e continuar enxergando o mundo como ele é de verdade?
O segundo é mais especial pra mim..."e invento como tudo poderia ser./(abençoado é esse momento/ que me leva até você)"...Lindo!
Beijos, meu poeta!

sofia disse...

Herdeiro legítimo de Cecília Meireles...
Parabéns!

Amélia disse...

"Pudesse eu medir
meu mundo com as tuas mãos..."

Fabuloso!

Filipe, sua poesia perfeita é parte da minha segunda feira. Eu adoro isso! :)

disse...

Pra quem tem o dom da análise eu deixo essa tarefa de tecer um comentário à altura...

camila disse...

acho que não tenho capacidade para entender seus textos das últimas semanas... hahaha

Anônimo disse...

Já ta na hora de sair um livro, hein?

Anônimo disse...

''abençoado é esse momento
que me leva até você''


é