segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Poemas 37 e 38


O poema 13 (Sobre Travessias) foi um dos mais controversos que eu já publiquei aqui. O que poucos sabem, no entanto, é que esse poema contém elementos de um outro, mais antigo, que eu tinha escrito. Como o trabalho tem me consumido muitas horas, resolvi publicar a versão mais antiga para não deixar o blog vazio esta semana. Aproveito para deixar um outro poema "velhinho", mas que tem um grande valor sentimental para mim. Boa semana a todos (e torçam pela minha sobrevivência)!


Sobre Seus Olhos

Tarde demais para esquecer seus olhos...
Eles são tão doces e radiosos,
que estavam postos na minha memória
antes de a nossa história acontecer...

(Quando a imagem dela tudo invade,
e toma conta deste coração,
que ainda bate, não resisto ao sonho,
e abraço bem forte essa saudade...)

Ai, quem me dera fazer dessa espera
algo mais que todo esse falar baixo,
que toda essa esperança secreta...

Poder dizer ao mundo que só quero
abrir os braços, cantar sua chegada,
olhá-la, e não ter que dizer mais nada...


(por Filipe C.)


Sobre um Fim de Tarde

Na vida, não há chegadas nem partidas...
O que há são longas e penosas travessias
a que estão sujeitas as nuvens, as lágrimas, os dias.

Submetidas a essa condição, as coisas
(inconscientemente)
teimam, insistem, lutam
e existem.

Algumas, para isso, se agarram às nossas calças
(ou às nossas almas)
(ou aos nossos colos)
(ou aos nossos olhos).

Outras
(as mais perversas e perigosas)
arrancam de si próprias cânceres
realizam os mais complicados transplantes
e sobrevivem, travestidas de lembranças
que amanhecem num fim de tarde qualquer...
(por Filipe C.)

5 comentários:

vivi disse...

Pois é...Não é sempre que se agrada a todo mundo...Mas se alguém não gostar dos poemas de hoje, tem que ser muito sem noção e não perceber a delicadeza de cada imagem que vc criou...
Se cuida, Filipe! Tô torcendo por você!
Beijo!

Viviiis disse...

Impoossível ficar uma semana sem passar por aqui =)

Amélia disse...

Foi tão dificil dar um pulinho aqui essa semana... mas é impossivel conseguir ficar sem ler seus poemas...

São lindos! :)

Rebecca disse...

Sei que ando meio desleixada nos comentários, mas prometo melhorar!
Adoro quando você fala de amor e quando você não fala de amor! hahahahaa
não sei qual dos dois poemas é melhor...Mas fiquei encantada com o primeiro poema...é lindo!o outro tb! hhahahahaha
Parabéns!

Livinha disse...

Caramba! Não venho aqui há séculos e quando resolvo visitar... uma surpresa: dos seus poemas, um dos que eu mais gosto!
E sendo totalmente redundante: você tem muito talento! cadê o livro, heim?
Saudades de você, irmão da Moreninha!! =P
hahaha beijos