terça-feira, 30 de junho de 2009

Poemas 122 e 123

Com essa publicação, disponibilizo também o áudio do poema 39, Sobre Pipas. Para chegar rapidamente a ele, clique aqui.

Sobre a Primavera

De dentro do meu amor,

nascem todo dia
perfumes e cantos e calores.

Uma primavera inteira
(cheia de cores)

só pra mim
.
(por Filipe Couto)
Para uma moça que, ignorando as investidas amorosas do poeta, insiste em só dar atenção a quem não lhe quer bem

Enquanto
eles todos te talham,

teus olhos,
moça,

me atalham
.
(por Filipe Couto)

16 comentários:

Vivi disse...

Os poemas desta semana são bem diferentes, mas são lindos mesmo!
Curtos e impactantes do jeito que só você sabe fazer!

Mas o que me deixou feliz mesmo foi ouvir o Sobre Pipas!!!!!!! Esse poema é maravilhoso!

Obrigado, Filipe!

aaluah disse...

Para uma moça que, ignorando as investidas amorosas do poeta, insiste em só dar atenção a quem não lhe quer bem"

porque tem pessoas que têm que ser assim? porque elas são assim? :(

Marcelo disse...

Couto,
esse fã de suas palavras te faz um pedido:
faça a versão em áudio dos meus poemas favoritos: "Sobre Desabafos" e "Sobre Travessias"...
iria amar ouví-los...

um abraço!

Dênis Rubra disse...

Bravissimo! Os novos posts são maravilhosos, mas o "Sobre Pipas", rapaz, é surpreendedor.

Abraço

Renata Portugal disse...

Poemas aparentemente simples, mas cheios de significados!!!
Lindos demais!
"Sobre Pipas" é realmente maravilhoso, adorei ouvi-lo!!!

beijos enormes querido!!!

Rebecca disse...

Esse primeiro poema de hoje é um dos meus preferidos. Gosto quando você fala das estações do ano, Filipe...

E amei o Sobre Pipas na sua voz rouquinha!!!!

Beijo!

Amanda Barcellus disse...

Quando achei que tivesse entendido o sentido do segundo poema, procurei no dicionário o significado de "atalhar" e conclui mais uma vez: você é um gênio.

Cadê o livro?????????

Katia Klemman disse...

Ai... Estão perfeitos os dois poemas! Quem me dera ter uma primavera inteira cheia de flores só pra mim... (suspiro)

CArina CAmila disse...

Primeiro quero falar que é sem sombra de dúvida, um toque mais que especial ouvir o poema.

Depois quero falar que descobrir porque é normal todos se apaixonarem.
As palavras enfeitiçam.

parabéns!


Dênis me indicou seu blog.

Sérgio Medeiros disse...

Essas moças que não querem a gente e para as quais fazemos poesias são mesmo difíceis :-)
Repetindo a pergunta de Amanda: tem livro?

Matheus Kleinn disse...

Esses poemas são curtos mas concentram tantos sentimentos... Você devia divulgar melhor esse seu talento!
Abraço!

Fabi disse...

Oi, Filipinho...

Ahhh que legal agora um blog com áudio. =))) Tempo que não venho aqui.

Mas este ano faltou o poema do dia dos namorados, que nem você postou ano passado... Aaahh... ^^

Beijo,
Fabi

Filipe disse...

Marcelão, pode deixar que uma hora eles serão gravados! Abraço!

Filipe disse...

Quanto ao livro, galera, estou procurando um editor! Se alguém tiver algum contato, não hesite em me informar! Meu email: filipecouto@uol.com.br !

Sâmia, se você ler isso, o Marcelo não me passa seu contato de jeito nenhum!


Beijo!

joaunatal disse...

voce e um genio! abracos!

Anônimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado